6.8.06

Guardar pra não esquecer

Já não posso mais te chamar amigo, embora o seja além de tudo mais.
Só espero a minha deixa pra entrar em cenanum enredo novo e livre de estereótipos.
História que lança raízes em solo áridomas é regada de imagens, sons e vozes.
A terra nas mãos, o suor do rosto, tanto chão a conquistar...Olha, escuta, sente.
Não há espelhos no tempo que distorçam minha verdade.

2 comentários:

Ricardo disse...

Estamos sempre começando de novo. O que aconteceu com seus posts anteriores, tinha muita coisa boa por lá, melhor "guardar para não esquecer"

Osvaldo disse...

reflexos, espelhos, tudo nos mostra como realmente somos...e as vezes deixar que o que esta dentro sai nem sempre nos trás felicidade, mas nos trás, isto sim, a leveza de uma alma que não guarda, que grita, que chora ...e que vive...